Dr.Milton Peruzzo | Toxina Botulínica
TOXINA BOTULÍNICA
A toxina botulínica é a substância produzida pela bactéria Clostidium Botulinum e este produto é um complexo protéico de neurotoxina purificada, de alto peso molecular, estabilizada, apresentada na forma de pó seco, dentro de um frasco estéril embalado a vácuo. A toxina botulínica não tem a capacidade de produzir botulismo, pois no procedimento de aplicação não injetamos a bactéria ativa capaz de se reproduzir e sim somente a toxina completamente controlada e reconstituída em soro fisiológico estéril. Existem 07 subtipos desta neurotoxina (de A até G) onde a A é a mais utilizada e comercializada. Em 1989, a Food and Drug Administratron (FDA) licenciou a toxina botulínica do tipo – A como uma droga para o tratamento de distúrbios musculares involuntários, estrabismo, blefaroespasmo e espasmo hemifacial. Em 1991 foi publicado um trabalho onde os autores notaram uma diminuição importante das rugas ao redor dos olhos nos pacientes tratados com toxina botulínica do tipo – A para blefaroespasmo (piscadas involuntária dos olhos). A observação da utilização da toxina botulínica em outras especialidades fez com que a Dermatologia Clínica pudesse utilizá-la para o tratamento da hiperhidrose palmar, plantar e axilar, e a Dermatologia Cirúrgica a incorporasse para o tratamento das rugas dinâmicas da face. Os melhores resultados de aplicação de toxina acontece em pacientes jovens, onde a pele ainda esta hígida, com boa elasticidade e com boa integração do colágeno (tecido de sustentação), desta maneira ele é utilizado para prevenção da formação das rugas. Em pacientes cujo sistema de sustentação esta comprometido, podemos associar técnicas coadjuvantes para o resultado almejado. A hiperhidrose é uma condição dermatológica, que impõe aos pacientes um intenso constrangimento social e até, em alguns casos, limitação em suas atividades produtivas. A hiperhidrose primária ou sudorese excessiva, decorrente da acentuada atividade das glândulas écrinas, pode ser classificada em: Localizada – Esta condição geralmente envolve as regiões palmares, plantares e axiliares, onde as glândulas sudoríparas écrinas estão concentradas. Estas glândulas são inervadas por fibras colinérgicas do sistema nervoso simpático e mostram uma reposta exagerada principalmente em indivíduos sob condições de estresse emocional. A hiperhidrose axilar, em particular, pode ser pessoalmente desagradável e interfere social e profissionalmente , causando umidade, manchas e deterioração das roupas. Generalizada – Ocorre uma sudação generalizada em resposta a estímulos emocionais, de origem cortical, incluindo mentais e sensoriais, bem como térmicos de origem hipotalâmica. Geralmente não é reproduzida com freqüência suficiente para representar um problema clínico. A hiperhidrose secundária pode estar associada ao hipertireoidismo, uso de anti- depressivos, obesidade, menopausa, feocromocitoma e condições que envolvem distúrbio na regulação do sistema autônomo, tais como paraplegia e trauma. Até o advento da toxina botulínica, seu tratamento constituía-se de procedimentos invasivos, como simpatectomia ou uso de substâncias tópicas que não apresentam eficácia satisfatória e com inúmeros efeitos colaterais. Desde os tempos mais remotos, o retardo do envelhecimento e o próprio rejuvenescimento vêm preocupando a ciência. Para satisfazer as exigências de cada época, diferentes métodos foram criados, desenvolvidos e aperfeiçoados. O aparecimento de rugas e sulcos faciais é decorrente da combinação de quatro fatores: Envelhecimento intrínseco (frouxidão intrínseca pelo envelhecimento do colágeno da pele); Envelhecimento extrínseco (provocado pela radiação ultravioleta, principalmente em pessoas da pele clara); Ação da Gravidade (linhas verticais); Ação muscular (grande parte dos músculos da face tem inserção na pele e por esforços repetidos estimulam mecanicamente esta pele e a atividade metabólica dos fibrócitos resulta em um remodelamento da matriz extracelular). Existem outras causas que aceleram o processo de envelhecimento, como fatores hereditários e tabagismo. O uso da toxina botulinica é uma alternativa muito eficiente que complementa ou substitui técnicas tradicionais para a eliminação das rugas. É um procedimento de fácil realização, de caráter ambulatorial, de rápida execução e de pós-operatório curto. Pode ser combinado com outros procedimentos rejuvenescedores tais como peeling, preeenchimento e laser. Perguntas e respostas Para que serve a Toxina botulínica tipo A em Medicina Estética? Os músculos da face tem origem no osso e a inserção final é na pele. Quando provocamos uma contração muscular através das expressões faciais, e quando elas são muito acentuadas, formam- se rugas. A melhor indicação então para o botox são as rugas dinâmicas, aquelas que só aparecem quando movimentamos a região em questão. A Toxina botulínica tipo A pode tirar a naturalidade da expressão e deixar a face "endurecida"? Hoje em dia seu uso é feito para deixar uma face descansada e não endurecida, plastificada, somente sem rugas. A utilização da Toxina botulínica tipo A é perigosa? Ela não tem nenhum efeito colateral, só não pode ser utilizada em mulheres grávidas e amamentando. Como funciona a Toxina botulínica tipo A? Age na função neuromuscular, prevenindo a descarga de acetilcolina na junção neuromuscular para a musculatura estriada o que inibe a movimentação da musculatura de forma seletiva. A Aplicação da Toxina botulínica tipo A causa dor? A aplicação geralmente é bem tolerada. Ë prescrito uma pomada anestésica que deve ser passada com 30 minutos de antecedência assim como a aplicação de gelo previamente a aplicação. Existe algum creme feito com Toxina Botulinica tipo A? Hoje em dia já existem determinadas substancias que simulam em menor grau desta toxina e são chamados de “Efeito Cinderela”, mas que não substituem a Tonixa botulínica tipo A O tratamento serve para todas as idades? As melhores idades para a aplicação são pacientes jovens que ainda não possuem a pele marcada pela ruga (rugas estáticas). Nestes pacientes com as rugas já estáticas, podemos associar técnicas tais como laser, preenchimento e peelings. Quanto tempo dura o efeito do tratamento? Geralmente o efeito começa em 4 horas, tem um bom efeito em 7 dias e em 14 dias é o efeito que permanece de 6 a 8 meses de acordo com a concentração utilizada e da força muscular do paciente. Existe efeito à longo prazo? A neurotransmissao (volta da mímica facial) começa a se processar em media em 5 meses. É um tratamento demorado? É necessário repouso após a aplicação? O procedimento é rápido e necessita de 4 horas de repouso local, isto é, não dormir ou treinar em até 4 horas. Pode tomar sol após a aplicação? Eventualmente pode ficar algum ponto de hematoma, se isso acontecer não pode tomar sol por media 7 à 10 dias que é tempo de resolução do hematoma. O tratamento é dispendioso? O custo final da aplicação é feito pelo numero de pontos necessários e cada paciente deve ser avaliado com antecedência e este procedimento é realizado no consultório medico.